Paulo Telles da Silva, candidato à reeleição para a prefeitura de Ibirité, tem como prioridade a área da saúde

       

A minha prioridade da administração vai ser a saúde, pois ela é apontada hoje por mais de 80% da população como principal problema. Sabemos que a saúde é complexa no país inteiro, e que o SUS é deficitário, mas achamos que o Sistema Único de Saúde é importantíssimo para todo o Brasil. 

 

Imagem

Por Janaína Soares, Lídia Lima, Nathália Rosa, Patrícia Dias e Thaís Bittencourt       

        Candidato pela quinta vez à Prefeitura de Ibirité, Região Metropolitana de Belo Horizonte, Paulo Telles da Silva, 69 anos, formou-se em medicina em 1970, é casado e possui quatro filhos. Filiado ao PMDB, o candidato, que faz parte da coligação Ibirité Pertence ao Povo, foi eleito prefeito da cidade por duas vezes, em 1983 e em 1993.

        Paulo Telles disputa o cargo de prefeito nas eleições de 2012 com um dos candidatos a prefeito mais novos do Brasil. “Pinheirinho”, como é conhecido Antônio Pinheiro Neto, 21 anos, filho do deputado federal Toninho Pinheiro e sobrinho do deputado federal Diniz Pinheiro, filiado ao Partido Progressista (PP), e com o candidato Ricardo Bernadão, do Partido dos Trabalhadores (PT).

        Paulo Telles recebeu a equipe de reportagem, na casa de um de seus aliados. O candidato Pinheirinho também foi procurado, mas afirmou não ter condições psicológicas de responder as perguntas.

 R- Como foi sua trajetória política?

E- Minha trajetória na política começou na década de 60, quando participei de movimentos sociais e políticos ligados à Igreja católica. Entrei para a faculdade de Medicina em 1965, na cidade de Teófilo Otoni, nesse momento comecei a lidar também com os movimentos estudantis, durante toda a faculdade fiz parte do diretório acadêmico.

Em 1972 me formei médico e fui morar em Ibirité. Desde essa época, comecei a lidar com o movimento comunitário da cidade. No período, bairros inteiros não tinham água, luz, transporte, escola, rede de esgoto ou centros de saúde. Ajudamos a população a organizar numerosas associações comunitárias e em 1982, em meio a esse grande movimento, eu me candidatei pela primeira vez.

R- Como foi sua experiência nos 2 mandatos à frente da prefeitura de Ibirité?

E- Foi fantástico. No primeiro mandato nos conseguimos fazer um trabalho, muito produtivo para sociedade, principalmente para ao bairros mais pobres e populosos. Além da conquista, do ponto de vista de infraestrutura urbana, como redes elétricas, rede de esgoto e urbanização, fizemos muitas escolas e revolucionamos a saúde.

A outra experiência que tivemos foi em como governar. Na década de 80, nos fizemos pioneiramente no Brasil, o Orçamento Participativo. Fazíamos tudo junto com a comunidade. As decisões eram tomadas coletivamente e criamos os conselhos de participação da comunidade, como conselho do transporte, da saúde e conselho municipal de assistência social.

 Já no segundo mandato, tivemos a preocupação em aumentar a receita do município, que na época era de R$ 11,8 milhões. Criamos um distrito industrial, que ainda funciona, inauguramos uma unidade de Urgência e continuamos dando assistência para a população. A prioridade do meu governo foi à criação do Distrito Industrial.

Hoje, temos a alegria de ver que em função da infraestrutura dos bairros, a população aumentou, por isso hoje o orçamento do município é de R$ 240 milhões de reais.

R- Qual será sua prioridade, se você for eleito?

E- A minha prioridade da administração vai ser a saúde, pois ela é apontada hoje por mais de 80% da população como principal problema. Sabemos que a saúde é complexa no país inteiro, e que o SUS é deficitário, mas achamos que o Sistema Único de Saúde é importantíssimo para todo o Brasil.

Vamos gerir o SUS e buscar parcerias e recursos para que a saúde saia do caos que está. Temos uma tarefa grande na saúde, nos postos de saúde, nos hospitais que existem, mas que não estão em funcionamento. Precisamos colocar médicos, medicamentos, fazer parcerias com os municípios vizinhos, para darmos conta de operar o hospital.

Na década de 90, ficamos 14 dias em Cuba e vimos como funcionava o Programa Saúde da Família, PSF. Implantamos o programa na cidade e agora vamos incrementá-lo no município inteiro. Faremos o atendimento de urgência na região do Jatobá, na região do Canal. Essa é a nossa prioridade.

R- Quais são as suas propostas para a Educação e Transporte?

E- A educação precisa ser melhorada, vamos tentar fazê-la em tempo integral. Quanto à mobilidade urbana, criaremos um transporte interno, e para aqueles que circulam nas cidades vizinhas, faremos parceria com o Departamento de Estradas de Rodagem – DER, para melhorar o transporte.

R- O que você acha da atual gestão do município?

E- Acho péssima. Não tem nenhum ponto que eu manteria na minha gestão. Por exemplo, vemos que há muitas ruas asfaltadas, mas está mal feito. Só chover que atrapalha tudo. Outra coisa ruim é a construção de prédios escolares sem se preocuparem com o ensino.

Na saúde então, é zero. Não há médicos, medicamentos, exames e consultas especializadas, não percebemos a vontade de fazer as coisas para o povo.

R- Segundo pesquisa de intenção de votos do Jornal Super Notícia, grande parte da população ainda está indecisa. De que forma você pretende convencer essas pessoas?

E- Questionamos muito essa pesquisa do Super Notícia, pois toda pesquisa feita tem que ficar disponível à sociedade, aos partidos e a justiça. Os formulários não foram apresentados ao Tribunal Regional Eleitoral, TRE.

A pesquisa que nós temos foi do mês de junho, realizada pelo DATACENSO, e dava Paulo em primeiro e o candidato da situação em segundo lugar.

Agora que tem muita gente indecisa, tem. Nós vamos continuar nosso trabalho, visitando os bairros, conversando com a população, mostrando nossas propostas. Nós não temos muito custo e por isso nossa campanha é a mais simples.

R- Como você viu o problema de falta de água vivenciado pela população recentemente? E quais as soluções que vê para o problema?

E- Ibirité fornece água até para o abastecimento da região metropolitana. Se for possível, nós vamos tentar aumentar o aporte do abastecimento da cidade. O município está crescendo e ainda vai crescer mais.

Discutiremos com a Copasa o que podemos fazer, porque ela é responsável pelo abastecimento. Outro modo é o esclarecimento, conscientização junto com a população, para que ela economize água nos momentos de seca.

R- Qual seria a solução para a falta de emprego na cidade?

A solução é o Distrito Industrial, que vai gerar muitos empregos na cidade. No que nós criamos na antiga gestão ainda existem lotes vagos. Outro método é ver em cada indústria já implantada, o que pode ser feito para que eles aumentem as vagas de trabalho. O terceiro ponto são outros terrenos para implantarmos novas indústrias.

Dentro das casas já temos o pequeno empreendedor. Incentivar isso vai ser de grande importância para o município.

R- Conforme pesquisa, 12% dos eleitores de Ibirité são jovens de 16 a 18 anos. Quais serão suas propostas para este público?

A juventude precisa de uma atenção especial, principalmente no esporte, no lazer e na cultura. Temos que fazer com que os mecanismos da prefeitura fiquem mais perto das pessoas.

Vamos criar locais de formação profissional e iniciação da juventude no trabalho. Para isso o município precisa criar algum nível administrativo, uma equipe polivalente, com diversas formações para cuidar da juventude.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s